Últimas Notícias

Principais raças leiteiras criadas no Brasil

Para os sistemas de gado de leite no Brasil, existem duas opções: as raças puras ou os seus cruzamentos

A escolha da raça de vaca leiteira com a qual o produtor vai trabalhar deve ser o primeiro passo do pecuarista que deseja investir na produção de leite. Para os sistemas de gado de leite no Brasil, existem duas opções: as raças puras ou os seus cruzamentos. As raças europeias mais encontradas no país são a Holandesa e a Jersey; das indianas, as mais utilizadas são a Gir e a Guzerá.
A raça Holandesa é a mais especializada na produção de leite e também a raça mais difundida em todo o mundo. Essa raça é exigente quanto ao clima, conforto e manejo, além de ser a matriz mais utilizada nos mais diversos tipos de cruzamentos. Se bem criadas, as novilhas holandesas chegam ao cio aos quinze meses, podendo parir dos 25 aos 27 meses de vida. No Brasil, a produção média de uma vaca holandesa varia entre os 6 mil a 10 mil Kg.
A raça Jersey, dentre as raças europeias, é considerada a raça mais rústica, sendo considerada ainda como a segunda raça leiteira mais importante em todo o mundo. A Jersey é uma raça de pequeno porte que, além de ter uma boa produtividade leiteira e alta fertilidade, tem boa facilidade de partos, elevada precocidade sexual e grande longevidade.
O leite produzido por essa raça apresenta elevados teores de sólidos, principalmente gordura e proteína. No Brasil, a Jersey produz de 3500 a 5500 Kg de leite por lactação de 305 dias. Esse leite é o que mais proporciona o maior rendimento industrial na produção de queijo e outros produtos lácteos.
As raças indianas, conhecidas como zebuínas ou simplesmente como gado zebu, destacam-se das raças europeias por serem animais mais rústicos, com grande resistência ao calor excessivo e à alta umidade do ar. Da mesma forma,  o gado zebu tem capacidade de utilizar com eficiência alimentos com baixa qualidade nutricional, pastejando tanto durante o dia quanto à noite.
A raça Gir, por exemplo, apresenta grande porte, além de possuir pelagem variada e distinta das demais raças zebuínas. Das raças indianas, a Gir é a mais utilizada nos cruzamentos para formação de mestiços leiteiros. É tida como uma raça de temperamento dócil, sua idade para o primeiro parto é de aproximadamente 43 meses e a duração de lactação de aproximadamente 286 dias. Ela produz leite de qualidade com elevados teores de sólidos, sendo sua média de produção em torno de 3777 Kg.
Já a raça Guzerá, também originária da Índia, tem como característica a rusticidade, com fácil adaptação ao clima brasileiro. O gado Guzerá é destinado tanto para a produção de leite quanto para a produção de carne. Como a rara Gir, a Guzerá também é muito utilizada nos cruzamentos que visam a formação de mestiços leiteiros.
A idade do primeiro parto gira em torno de 42 meses e a duração média da lactação é de 270 dias. A Guzerá também produz leite de qualidade, com elevado teor de sólidos, sendo sua produção média de leite no Brasil em torno de  2071 Kg.
Para auxiliar os criadores de gado de leite, o CPT – Centro de Produções Técnicas elaborou o curso Alimentação de Vacas Leiteiras, que aborda temas como os alimentos e sua digestão nos bovinos, utilização de volumosos e concentrados, balanceamento da dieta, alimentação por fase de manejo entre outros.

Fonte: CPT - Centro de Produções Técnicas

CPT - Centro de Produções Técnicas

Nenhum comentário