Últimas Notícias

Produção de feno: tipos de forrageiras e cuidados

Os pecuaristas produzem feno com diversos tipos de forrageiras - como alfafa, azevém, aveia, cevada, coast cross e tífton

Por Andréa Oliveira

“O feno é um alimento de alta qualidade, próprio para a alimentação de animais – como ovinos, caprinos, equinos e bovinos, para suprir o déficit de alimentos volumosos na estação seca ou nos períodos de baixo crescimento das pastagens”, afirma Juliano Ricardo Resende, professor do Curso a Distância CPT Produção de Feno para Uso na Propriedade e Comercialização, em Livro+DVD e Online, da Área Pastagens e Alimentação Animal.

Tipos de forrageiras

Em nosso país, os pecuaristas produzem feno com diversos tipos de forrageiras - como alfafa, azevém, aveia, cevada, coast cross e tífton, e até mesmo restos culturais. Entretanto, para alcançar bom padrão de qualidade, o produtor deve seguir alguns cuidados essenciais na produção e no armazenamento do feno. Caso contrário, ele pode perder o seu valor nutricional, tão importante à dieta dos animais.

Versatilidade e nutrição

Segundo Alexandre Turquino, engenheiro agrônomo e produtor de feno no Paraná, a fenação é a principal fonte de renda da propriedade, com faturamento de R$500 mil por ano. O preço do fardo de 10 quilos chega a R$ 5,00. Além de ser valorizado no mercado, o feno é um alimento versátil e muito nutritivo – quando feito com coast cross, ele apresenta alta produção de matéria seca e grande valor nutritivo.

Conservação dos volumosos

Trata-se de uma maneira alternativa de conservar volumosos. Entretanto, eles sofrem variação de acordo com o tipo de forrageira a ser enfardada. Alguns produtores preferem enfardar aveia, pois é um excelente alimento para vacas leiteiras. Além de ser excelente fonte de fibras, esse cereal é rico em proteínas. Mas também podem ser utilizados restos culturais, como resíduos de cevada.

Teor de umidade

A produção de feno ou fenação chega ao auge, em fevereiro e março, meses em que as forrageiras apresentam mais folhas. Já no período de inverno, o volume de folhas é reduzido pela metade. Em contrapartida, como no frio a umidade relativa do ar é baixa, a desidratação da forrageira ocorre com maior rapidez, o que é bastante vantajoso, pois o enfardamento do feno deve ser realizado com teor de umidade abaixo de 20%.

Corte da forrageira

Em relação ao ponto de corte da forrageira para fenação, este varia conforme a cultura. No caso da gramínea coast cross, ela deve ser colhida 60 dias após o plantio. Sua secagem ocorre em até quatro dias. O mais recomendado é ceifar o feno no dia anterior ao enfardamento. O processo de desidratação e conservação de nutrientes pode ser acelerado revirando as folhas picadas inúmeras vezes por dia.

Fonte: CPT - Centro de Produções Técnicas


Nenhum comentário