Últimas Notícias

Pesquisadores discutem planejamento ambiental na área do Chaco Americano



Pesquisadores do Brasil, Argentina, Bolívia e Paraguai vão desenvolver ações para o desenvolvimento sustentável, gestão, governança territorial e a conservação florestal na paisagem do Grande Chaco Americano para melhor planejamento ambiental. O foco é na resiliência dos ecossistemas e das comunidades locais frente aos impactos ambientais, como as mudanças climáticas, e à expansão produtiva.

O bioma, uma das principais regiões geográficas da América do Sul, conta com aproximadamente 1,2 milhão de quilômetros quadrados. É composto por muitos ecossistemas e climas distintos, que variam dos pampas a florestas e semiárido. No País, a área representa apenas 1% e abrange o sul do Pantanal, na fronteira com o Paraguai e a Bolívia.

A Embrapa Informática Agropecuária (Campinas, SP) sediou a primeira reunião técnica da equipe, realizada nos dias 18 e 19 de setembro, para discutir as principais atividades previstas na pesquisa, que integra o projeto de Manejo e restauração florestal em ambientes produtivos, cujo logo é “Vivir y producir en el Bosque Chaqueño”. A iniciativa faz parte do programa EUROCLIMA+, financiado pela União Europeia.

O Instituto Nacional de Tecnologia Agropecuária da Argentina (Inta), o Instituto Paraguaio de Tecnologia Agrária (IPTA), a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e a organização boliviana Naturaleza Tierra y Vida (Nativa) são coordenadores da pesquisa. O Programa Cooperativo para el Desarrollo Tecnológico Agroalimentario y Agroindustrial del Cono Sur (Procisur) apoia o projeto, entre outras instituições colaboradoras.

“As ações buscam, principalmente, orientar as políticas para essas instituições e gerar mecanismos de proteção nas florestas do Chaco”, conta o pesquisador do Inta Walter Mioni. Além das ações de conservação, as pesquisas estão focadas no desenvolvimento de tecnologias, como sistemas inovadores de uso múltiplo das florestas e sistema de monitoramento, que contribuam para o desenvolvimento da região, com sustentabilidade. Trata-se de uma área extremamente frágil submetida a sérios processos de devastação, especialmente devido à expansão da fronteira produtiva, de acordo com Mioni.

Os estudos coordenados pela Embrapa Informática Agropecuária visam indicar a potencialidade do ambiente para diferentes usos, ou seja, buscam atender a uma relação de custo/benefício favorável do ponto de vista econômico e ambiental, conforme o pesquisador João Vila. Para isso, serão desenvolvidos trabalhos relativos ao zoneamento e gestão coletiva da paisagem, os quais incluem atuação local para identificação de áreas homogêneas e elaboração de zoneamento socioecológico, diagnóstico e diretrizes no Chaco brasileiro.

A parceria inclui planejamento do uso do solo e análises de instrumentos políticos, relativos à governança e consciência social das florestas, que se refletem nos serviços ecossistêmicos e sustentabilidade nos entornos produtivos do ambiente. A pesquisadora da Embrapa Solos (Rio de Janeiro) Rachel Bardy Prado será responsável por coordenar uma análise transversal para gerar recomendações e diretrizes voltadas à sustentabilidade dessa área.

Entre os vários desafios, a equipe de pesquisadores internacionais pretende implementar planos de manejo sustentável de pecuária e floresta, adaptados a cada país e região. Para isso serão selecionadas áreas pilotos onde se desenvolverão propostas participativas de manejo e uso múltiplo da floresta, adaptadas às condições dos usuários, que serão avaliadas por meio de dispositivos de diagnósticos e monitoramento da sustentabilidade e da resiliência.


Sobre o EUROCLIMA+ 


O EUROCLIMA+ é um programa financiado pela União Europeia para promover o desenvolvimento ambientalmente sustentável e resiliente ao clima em 18 países da América Latina, em especial para o benefício das populações mais vulneráveis. O Programa é implementado sob o trabalho sinérgico de sete agências: Agência Espanhola de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento (AECID), Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD), Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL), Expertise France (EF), Fundação Internacional e Ibero-Americana de Administração e Políticas Públicas (FIIAPP), Deutsche Gesellschaft for Internationale Zusammenarbeit (GIZ) GmbH e ONU Meio Ambiente.


Nadir Rodrigues (MTb 26.948/SP)
Embrapa Informática Agropecuária

Giovanna Zinsly (colaboradora)
Embrapa Informática Agropecuária

Nenhum comentário