Últimas Notícias

Criadores de pirarucu mantêm o mercado abastecido



Nativo da Amazônia, o pirarucu é bastante apreciado na culinária regional pelo sabor, pela qualidade e textura da carne e pela ausência de espinhas.A pesquisa da Embrapa já reuniu várias informações técnicas para a criação em cativeiro desse peixe conhecido como o “gigante da Amazônia”. Isso porque ele atinge de 10 a 12 quilos em um ano de cultivo.

Na campanha #TodosPeloAgro desta semana você vai conhecer o trabalho do Walber Melo, piscicultor de Abaetetuba, município localizado na mesorregião Nordeste Paraense. Ele trabalha com a produção de alevinos (filhotes) e engorda de pirarucu. Tudo isso para abastecer o mercado e a mesa a população com segurança e sustentabilidade.



Publicação - De acordo com o IBGE, em 2018, o Brasil produziu quase 2 mil toneladas de pirarucu em cativeiro. O maior produtor da Região Norte é Rondônia, com mil toneladas em 2018; seguido do Tocantins, com 213 ton; e do Pará, com 206 toneladas. Os dados são da Produção Pecuária Municipal (PPM/IBGE, 2019).

Para conhecer mais sobre como produzir o pirarucu em cativeiro, a Embrapa disponibiliza a publicação "Piscicultura de Pirarucu", da Coleção Criar. O livro é fruto das demandas de produtores brasileiros que buscam informações seguras sobre a criação desse peixe, considerado uma grande aposta do mercado aquícola brasileiro.

A publicação aborda o treinamento alimentar e todos os aspectos da nutrição dessa espécie. Traz ainda informações atualizadas sobre qualidade da água, sanidade, manejo, reprodução, recria, processamento, culinária, entre outros temas.

Para baixar gratuitamente a publicação, clique aqui.

#TodosPeloAgro

Ana Laura Lima (MTb 1268/PA)
Embrapa Amazônia Oriental

Nenhum comentário