Livro mapeia as iniciativas de educação em solos no Brasil



Aproveitando a semana na qual se comemora o Dia Nacional da Conservação do Solo (15/04), a Sociedade Brasileira de Ciência do Solo (SBCS) lançou o livro “Iniciativas de Educação em Solos no Brasil”. Uma das 78 atividades elencadas pela publicação é o programa Embrapa & Escola, organizado pelo pesquisador Claudio Capeche desde 1997 na Embrapa Solos (Rio de Janeiro-RJ). “O Programa Embrapa & Escola visa levar ao público conhecimentos relativos ao uso dos solos de forma sustentável na área rural e nas cidades. Para isso são realizadas palestras, oficinas, recepção para visitas na Embrapa Solos (RJ e Recife), atividades em escolas, em feiras de ciências e agropecuárias e capacitação de professores”, conta um orgulhoso Capeche, com os mais de 20 anos de atividades.

Em 2019, por exemplo, experiências bem-sucedidas associadas à agricultura urbana no Rio de Janeiro foram apresentadas em um seminário técnico por parceiros do programa Embrapa & Escola. O evento, que também celebrou o Dia Nacional da Conservação do Solo, mostrou a importância da capacitação e das parcerias para o uso correto do solo e da água nos espaços urbanos para um público de quase cem pessoas no auditório da Embrapa Solos.

“Buscamos, com esse encontro, colocar em contato nossos parceiros, para que todos conheçam as atividades desenvolvidas”, disse Capeche na ocasião. E os parceiros são variados incluindo colégios, creches, comunidades e ONGs em relações construídas ao longo desses 23 anos.

Para alguns colégios que participam do Embrapa Escola, a experiência tem sido gratificante. “O enriquecimento do contato entre pais, alunos e professores proporcionado por aquele pedacinho de terra que é a nossa horta alegra o cotidiano”, conta Elizabeth Azevedo Teixeira, mãe de um aluno da Escola Municipal Anne Frank, que participa do Embrapa & Escola há quatro anos.

As comunidades da Babilônia, Chapéu Mangueira, Rocinha, Santa Marta e Vidigal também realizam ações de educação ambiental e cultivam hortas comunitárias.

Entre as atividades proporcionadas pelo Embrapa & Escola carioca estão a exposição permanente de experimentos, a recepção de colégios, a realização de cursos, sobre o tema solos para formação continuada de professores e atividades em trilhas didáticas que abordam o tema solos.

O Livro


“Iniciativas de Educação em Solos no Brasil” é fruto das ações da Divisão IV (Solo, Ambiente e Sociedade) da SBCS. As 78 atividades foram cadastradas pelos coordenadores, no “Banco de Dados Nacional de Iniciativas de Educação em Solos”.

São apresentadas informações sobre o nome da iniciativa, público alvo, atividades desenvolvidas, coordenação, contatos e páginas das mesmas na Internet.

A obra chega em um momento oportuno para a socialização das iniciativas de Educação em Solos no Brasil, concebidas e desenvolvidas por diferentes educadores ao longo dos últimos 20 anos, contextualizadas em diferentes territórios, culturas e áreas do conhecimento.

De acordo com os organizadores do livro, os Professores Marcelo Ricardo de Lima, Fabiane Machado Vezzani, Valentim da Silva e Cristine Carole Muggler, “a Educação em Solos é um processo formativo e humanizador dos sujeitos envolvidos, em que o conhecimento sobre solos é construído a partir de suas vivências”. Assim, segundo os organizadores, “o conhecimento sobre solos passa a fazer sentido e parte da vida dos sujeitos de uma forma cada vez mais integrada às suas ações cotidianas. É a transformação da realidade e dos sujeitos na relação com o solo”.

Esta publicação pretende permitir o (re)conhecimento mútuo das iniciativas e inovações encontradas na Educação em Solos, inspirando, instigando e promovendo reflexões e diálogos acerca das práticas e processos em curso no país.

A partir deste livro, os organizadores esperam que o contato entre os agentes dos processos pode ser potencializado, gerando interações entre os projetos e fortalecendo o conjunto de Educadores em Solos, além de estimular a aproximação de outros.

Ainda, o Banco de Dados possibilita a realização de análises diversas e, sobretudo, a constatação da complexidade da Educação em Solos, para além da descrição e caracterização de conteúdos e ações Este Banco continua aberto, para inclusão de novas ações que poderão ser adicionadas nas próximas edições do livro.

O livro é destinado a todos os envolvidos e interessados na Educação em Solos, com especial ênfase a instituições como secretarias estaduais e municipais de educação, de agricultura e de meio ambiente, a entidades públicas ou privadas ligadas à educação ambiental, a organizações e associações de agricultores e produtores rurais, a grupos que atuam na agricultura urbana, entre outros, que tenham interesse ou envolvimento com a Educação em Solos.

No prefácio da publicação, a presidente da Sociedade Brasileira de Ciência do Solo, a Profa. Lúcia Helena Cunha dos Anjos, pontua que esta obra é uma iniciativa de grande importância para a Sociedade Brasileira de Ciência do Solo (SBCS), como registro, mas também para reconhecimento de tantos que dedicam seu tempo, para além das horas normais de trabalho, à Educação em Solos no Brasil.

Lúcia Helena ainda destaca que “Cada um desses projetos, assim como outros que não foram inseridos no catálogo, contribuiu para o marco de participação do Brasil, em 2019, na iniciativa da FAO do dia 05 de dezembro para celebrar o Dia Mundial do Solo. De um total de 507 eventos, em 100 países de todo o mundo, o Brasil contribuiu com 79, o maior número em um só país (http://www.fao.org/world-soil-day/worldwide-events/en/)”.

O livro pode ser baixado aqui.

Colaboração no texto: Sociedade Brasileira de Ciência do Solos


Carlos Dias (20.395 MTb RJ)
Embrapa Solos

Comentários

Mais vistas da semana

GEDAVE – O que é, como funciona e pontos de atenção da etapa de Cadastro

No Maranhão extrativistas da amêndoa de babaçu recebem mais R$ 450 mil em subvenções

Cafés do Brasil obtêm Denominação de Origem para a Mantiqueira de Minas

Cebola e batata ficam mais baratas nos principais mercados atacadistas

Conab realiza pesquisa para os próximos levantamentos de grãos e café em Minas Gerais