EPAMIG avança em projeto com hortaliças PANC no Campo das Vertentes

Horta em Santa Cruz de Minas recebeu visita de pesquisadora da empresa. Zona rural de Lavras também foi contemplada com kits 

A Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (EPAMIG) avança no projeto de incentivo ao cultivo de hortaliças PANC em Santa Cruz de Minas, no Campo das Vertentes. O objetivo do projeto é gerar alimento e ocupação saudável para as pessoas, além de contribuir para o enfrentamento da pandemia de Covid-19. 

A primeira ação foi realizada no mês de abril. Em junho, a pesquisadora da EPAMIG, Izabel Cristina dos Santos, realizou uma visita técnica a horta comunitária do município para dar continuidade ao projeto. Durante a visita, Izabel entregou dez mudas de tomate-de-árvove (Solanum betaceum) produzidas pela EPAMIG. 

Também durante a visita, Izabel fez demonstrações de como tirar mudas de caixinhas de leite sem destorroá-las. Além disso, a pesquisadora explicou a maneira correta de plantar as mudas. 

EAD Agroales

“Para evitar aglomerações, fiz o encontro com quatro colaboradores da horta. Combinamos que em um momento propício eles farão uma visita a minha casa para ver como funciona uma horta em vasos, uma vez que ela pode ser adaptada para pequenos espaços”, afirmou Izabel.

Desde o início do projeto, a equipe da EPAMIG em São João del-Rei, responsável por preparar, embalar e distribuir kits com sementes, mudas e cartilhas, garante que todas as medidas são realizadas de acordo com as normas de prevenção adotadas pelo Comitê Extraordinário do governo de Minas em combate à Covid-19.


Em setembro e outubro serão distribuídas sementes mais propícias para plantio em períodos chuvosos, como araruta, azedinha, capuchinha, carás, feijão-mangalô, ora-pro-nóbis, taioba, tomate-de-árvore e outras.

Mais uma comunidade contemplada

A pesquisadora da EPAMIG, Aurinelza Condé, leu as notícias sobre os incentivos ao cultivo de hortaliças PANC no Campo das Vertentes e ficou interessada no projeto. Em conversa com os pesquisadores Izabel Santos e Cláudio Faccion, responsáveis por preparar os kits, Aurinelza se comprometeu a levar para os moradores da comunidade rural de Ityrapuan, no município de Lavras, amostras para propagação. 

No total foram preparados dez kits com boletins, cartilhas e amostras de cravo amarelo (tagetes), feijão-mangalô (orelha-de-padre), vinagreira de folhas roxas, vinagreira de folhas verdes, almeirão-roxo e capiçoba (marianica).

“As pessoas que receberam os kits ficaram muito felizes e curiosas. Algumas espécies já eram conhecidas, outras não. O que me chamou atenção foi o interesse da população por palestras educativas. Assim que a pandemia passar vamos pensar em algo”, destacou Aurinelza. 

Comentários

Mais vistas da semana

GEDAVE – O que é, como funciona e pontos de atenção da etapa de Cadastro

Cafés do Brasil obtêm Denominação de Origem para a Mantiqueira de Minas

Cebola e batata ficam mais baratas nos principais mercados atacadistas

No Maranhão extrativistas da amêndoa de babaçu recebem mais R$ 450 mil em subvenções

Embrapa oferta material propagativo de mandiocas de indústria para o Brasil Central