EPAMIG produz de sementes genéticas de feijão ouro vermelho

Variedade é opção para produtores de grãos vermelhos

1_GG_SEMENTE-DE-FEIJO-BRS-OURO-VERMELHO
Sementes BRS Ouro Vermelho – Agência Embrapa de Informação Tecnológica

(Belo Horizonte – 29/7/2020) – A Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (EPAMIG) está produzindo sementes genéticas de feijão Ouro Vermelho no Campo Experimental de Leopoldina, na Zona da Mata. A cultivar, que foi desenvolvida pelo Convênio “Melhoramento do Feijão para o Estado de Minas”, composto por EPAMIG, Universidade Federal de Viçosa (UFV) e Embrapa Arroz e Feijão, é uma opção para áreas de cultivo de feijão vermelho e destaca-se pela adaptabilidade e estabilidade de produção.

A variedade, que surgiu de uma demanda de produtores de feijão da Zona da Mata Mineira, apresenta rendimento superior, melhor arquitetura da planta e maior tolerância à mancha angular e à ferrugem, quando comparada à cultivar Vermelhinho, mais utilizada pelos produtores. Os testes realizados apontam também uma maior concentração de proteína: 25,7% ante 23,1% das cultivares Vermelho 2157 e Vermelhinho. Além de um menor tempo de cocção, cerca de 30 minutos contra aproximadamente 50 minutos das outras duas.

A produção no Campo Experimental de Leopoldina está na fase de vistorias e preparo para a colheita das sementes, que deve ocorrer na segunda quinzena de agosto. “Realizamos a vistoria da fase de floração e o “rouguing”, prática obrigatória que difere o campo de produção de sementes daquele de produção de grãos. As condições estão excelentes, não encontramos nenhum contaminante, nem doenças, plantas atípicas ou invasoras. Em breve realizaremos a vistoria de pré-colheita”, explica o pesquisador Roberto Araújo.

IMG_0840

O plantio do feijão deve ocorrer nas safras de seca (fevereiro e março) e de inverno (abril a julho), podendo variar de acordo com as características climáticas da região. Para cada hectare de cultivo são necessários entre 60 e 75 Kg de sementes, com espaçamento de 50 centímetros. Os tratos culturais e o manejo de pragas, doenças e plantas daninhas devem ser os mesmos recomendados para a cultura na região. A floração acontece por volta do 38º dia e o ciclo, da emergência à maturação, leva entre 80 e 90 dias.

Segundo Roberto Araújo, duas toneladas de sementes devem produzidas neste ano. O material será disponibilizado para produtores e empresas multiplicadoras de sementes. Os contatos para aquisição e mais informações podem ser obtidas na Assessoria de Negócios Agropecuários da EPAMIG: [email protected], (31) 99564-0855.

Comentários

Mais vistas da semana

No Maranhão extrativistas da amêndoa de babaçu recebem mais R$ 450 mil em subvenções

Cafés do Brasil obtêm Denominação de Origem para a Mantiqueira de Minas

Cebola e batata ficam mais baratas nos principais mercados atacadistas

GEDAVE – O que é, como funciona e pontos de atenção da etapa de Cadastro

Programa de melhoramento de bovinos de carne adota critérios mais objetivos e amplia análise de rebanhos