Jornada premia melhores trabalhos de iniciação científica desenvolvidos na Embrapa Semiárido

 

A Embrapa Semiárido realizou, nos dias 18 e 19 de agosto, a 15ª edição da sua Jornada de Iniciação Científica (Jices). Este ano o evento foi completamente online, um formato atípico em decorrência do cenário de pandemia.

Na Jices, que tem como finalidade incentivar bolsistas e estagiários que atuam na unidade de pesquisa a divulgarem os resultados alcançados nos projetos dos quais participam, foram submetidos e apresentados 17 trabalhos orais e 30 e-posters, que abordaram as mais variadas áreas de pesquisa voltadas para a agropecuária no Semiárido Brasileiro.

A Jornada foi aberta ao público e contou com um webinar sobre "Inovação na Agropecuária", abordando quais caminhos a seguir, apresentado por Viviani Marques, professora e diretora de Inovação Tecnológica da Univasf, Daniela Bacconi Campeche, supervisora do Núcleo de Inovação Tecnológica da Embrapa Semiárido, Lucas Farias, empreendedor social e sócio da Farmly e Emanoel Rodrigues Costa, co-fundador do programa Garoa Habitat.

A programação do evento contou ainda com a realização de um curso de redação científica para principiantes, com dicas para redigir artigos científicos com o instrutor Paulo Ivan Fernandes Júnior, pesquisador da Embrapa Semiárido. O curso foi aberto aos estudantes de graduação, independente da participação na Jornada, e contou com mais de 250 inscritos.

Premiações

 
Ao final da Jornada, os trabalhos mais bem avaliados pela banca examinadora foram premiados. Na categoria de apresentações orais, o primeiro lugar foi para o trabalho “Respostas produtivas e estruturais da palma-forrageira Orelha de Elefante Mexicana em diferentes frequências e lâminas de irrigação“, da bolsista Luara Coelho de Souza, orientada pelo pesquisador Tadeu Vinhas Voltolini. A estudante ganhou duas horas de mentoria oferecidas pela Farmly.

A bolsista Vitória Rodrigues de Oliveira, orientada por Alessandra Monteiro Salviano, ganhou o segundo lugar com o trabalho “Exportação de macronutrientes por diferentes genótipos de palma forrageira cultivadas em ambiente semiárido“, e ganhou um vale-livros da Tamabras e uma garrafa de vinho da Bianchetti. 

A premiação do terceiro lugar foi para dois trabalhos: “Avaliação da estabilidade do vinho ‘Syrah’ do Submédio do Vale do São Francisco e influência do uso de chips de carvalho“, de Inglides Gomes de Oliveira com orientação da pesquisadora Aline Telles Biasoto Marques, e “Composição morfológica e resposta produtiva de acessos do gênero Manihot“, da bolsista Camila Barbosa dos Santos, orientada por Francislene Angelotti. As duas bolsistas ganharam um livro da Embrapa e um suco de uva da Bianchetti, cada.

Na categoria e-posters, Ágda Freire Queiroz, orientada pelo pesquisador Douglas de Britto, ficou em primeiro lugar com o trabalho “Avaliação da estabilidade de ds-RNA e c-DNA encapsulados em nanopartículas de quitosana“, e ganhou uma hora de mentoria com o Garoa Habitat. 

“Composição físico-química de efluente de piscicultura submetido à colonização por comunidade perifítica em substrato plástico“, de Augusto Cesar Cavalcanti Gomes, com orientação da pesquisadora Alineaurea Florentino Silva, ficou com o segundo lugar, um livro da Embrapa e um vinho Bianchetti. 

Ana Laressa Feitosa Araujo, orientada pelo pesquisador Douglas de Britto, ficou em terceiro lugar na apresentação de e-posters com o “Protocolo rápido para avaliar o efeito fotoprotetor de formulações filmogênicas em mangas”, e ganhou um livro da Embrapa. 

Os trabalhos apresentados oralmente foram avaliados pelos professores Claudinéia Regina Pelacani Cruz, da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), Andrea Vasconcelos Ferraz da Univasf e Vander Mendonça, da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA). Já os e-posters foram avaliados por Maria José de Filgueiras Gomes, da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), Ronaldo Simão de Oliveira, do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Baiano (IFBaiano) e Ellio Celestino de Oliveira Chagas, do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sertão Pernambucano (IF Sertão-PE).

Agradecimento e Homenagem 


Na abertura do evento, Flávio de França Souza, chefe adjunto de Pesquisa e Desenvolvimento da Embrapa Semiárido,  ressaltou a importância da Jornada para bolsistas e estagiários, e reconheceu o esforço de toda a equipe envolvida na realização do evento “por enfrentar de forma hábil o desafio de realizar a Jices de forma remota". Ele também aproveitou o momento para homenagear, in memorian, os empregados falecidos recentemente, José Clétis Bezerra  e Marcelino Ribeiro, que participaram de tantas outras edições do evento.

Fernanda Birolo (MTb 81/AC)
Embrapa Semiárido

Comentários

Mais vistas da semana

GEDAVE – O que é, como funciona e pontos de atenção da etapa de Cadastro

Cafés do Brasil obtêm Denominação de Origem para a Mantiqueira de Minas

Cebola e batata ficam mais baratas nos principais mercados atacadistas

No Maranhão extrativistas da amêndoa de babaçu recebem mais R$ 450 mil em subvenções

Embrapa oferta material propagativo de mandiocas de indústria para o Brasil Central