Receita Bruta da lavoura cafeeira de Minas Gerais deve atingir R$ 17,75 bi que equivalem a 60% das lavouras dos Cafés do Brasil

 

Percentual do faturamento da cafeicultura em relação ao total das lavouras é de 79,2% no Espírito Santo, 35,2% em Minas Gerais, 21% em Rondônia, 5% na Bahia, 5% em São Paulo e 0,87% no Paraná

O valor bruto da produção das lavouras brasileiras foi estimado para 2020 em R$ 493,9 bilhões, tendo como base principal o volume da safra anual e os preços médios recebidos pelos produtores agrícolas de vinte e uma culturas que foram objeto desta pesquisa, no período de janeiro a julho deste ano. 

Um ranking das seis principais culturas em termos de arrecadação indica que a soja se mantém em primeiro lugar e deverá faturar R$ 181,45 bilhões, o que representa um aumento de 22,4% se comparado com 2019, depois vem o milho, com R$ 78,77 bilhões – aumento de 15%, seguido da cana-de-açúcar, em terceiro, com R$ 63,74 bilhões, sem nenhuma variação expressiva em relação ao ano passado. Na sequência, em quarto lugar, destaca-se o algodão herbáceo com o faturamento estimado em R$ 44,07 bilhões, valor que representa uma redução de 3% se comparado com 2019, depois vem o café, em quinto, com R$ 29,4 bilhões e um expressivo aumento de 37,9%, e, em sexto, a laranja com a receita bruta calculada em R$ 15,66 bilhões – aumento de 9,1%.

Com relação exclusivamente às lavouras dos Cafés do Brasil, se for estabelecida uma correlação do Valor Bruto da Produção (VBP) de todas as lavouras pesquisadas com a receita da produção de café, nos seis principais estados da Federação produtores dessa cultura, constata-se que Minas Gerais, maior produtor de cafés do País, tem um faturamento estimado para essa cultura de R$ 17,75 bilhões, o qual corresponde a 35,2% do VBP total das suas lavouras, que é de R$ 50,3 bilhões. A seguir vem o Espírito Santo, segundo maior produtor de café, com uma receita bruta estimada para os cafés de R$ 5,12 bilhões, montante que corresponde a 79,2% do total arrecadado de suas lavouras. 

Na sequência, figura o estado de São Paulo, que é o terceiro maior produtor de cafés, cujo faturamento dessa cultura está calculado em R$ 3,2 bilhões, cifra que equivale a 5% do seu VBP da produção de lavouras. O quarto colocado na produção de cafés no País é o estado da Bahia, que tem uma receita bruta estimada em R$ 1,43 bilhão, a qual corresponde a 5% das lavouras. Em quinto colocado, está Rondônia, que deverá faturar em 2020 a cifra de R$ 871,3 milhões com a cultura do café, receita bruta equivalente a 21% do VBP das suas lavouras. Por fim, em sexto lugar, vem o estado do Paraná, com uma receita calculada em R$ 514,28 milhões, montante que corresponde a 0,88% do total a ser arrecadado com as suas lavouras. Vale destacar ainda que o faturamento bruto da cafeicultura de Minas Gerais representa 60,3% do faturamento nacional da lavoura cafeeira. 

Com relação à produção mundial de café, a projeção de volume total produzido no ano cafeeiro 2020-2021, é de 176,1 milhões de sacas de 60kg, o que representa um aumento de 5,5% se comparado com as 166,9 milhões de sacas produzidas no ano cafeeiro 2019-2020. Com relação à produção da espécie arábica, o volume projetado é de 101,8 milhões de sacas, um aumento de 8,5% nos mesmos termos de comparação, ao passo que o café da espécie conilon apresentou um ligeiro aumento de 1,6% ao atingir 74,3 milhões de sacas de 60kg. Pode-se concluir que a produção do café da espécie arábica será responsável por 57,8% do total mundial no ano cafeeiro de 2020-2021, enquanto a de conilon representará 42,2%.

Os dados e números que permitiram esta análise foram obtidos do Sumário Executivo do Café – Agosto de 2020 e do Valor Bruto da Produção – VBP – Julho 2020, elaborados e divulgados mensalmente pela Secretaria de Política Agrícola – SPA, do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento – Mapa, os quais passaram a ser analisados e estão disponíveis na íntegra no Observatório do Café do Consórcio Pesquisa Café, coordenado pela Embrapa Café.

Sumário Executivo do Café – Agosto de 2020, especificamente em relação aos Cafés do Brasil, também traz dados que permitem estabelecer um ‘Comparativo de área em produção, produtividade e produção’, tanto para o café arábica como para o café robusta (conilon). Assim, na safra atual, o café arábica ocupa uma área de 1,51 milhão de hectares com produção média estimada de 44,58 milhões de sacas de 60kg e produtividade média de 29,77 sacas por hectare. Quanto ao café robusta, o Sumário destaca que a área em produção é de 371,1 mil hectares, com produção média estimada de 14,9 milhões de sacas e produtividade média de 40,4 sacas por hectare. De acordo com esses dados, somadas as duas espécies, em 2020 o total da produção brasileira será de 59,5 milhões de sacas de 60kg, em média, numa área de 1,88 milhão de hectares, com produtividade média de 31,6 sacas por hectare.

Visite o site do Observatório do Café para ler na íntegra o Valor Bruto da Produção – VBP de julho de 2020, elaborado pela SPA/Mapa, pelo link:

http://www.sapc.embrapa.br/arquivos/consorcio/informe_estatistico/VBP_07_20.pdf

Visite o site do Observatório do Café para ler na íntegra o Relatório sobre o mercado de Café - agosto 2020, da OIC, pelo link:

http://www.sapc.embrapa.br/arquivos/consorcio/informe_estatistico/Sumario_Cafe_agosto_2020.pdf

Conheça todo acervo digital das Bibliotecas do Café, pelo link:

http://www.consorciopesquisacafe.com.br/index.php/component/content/article/991-2020-05-21-01-18-39

Confira as ANÁLISES (Análises e notícias da cafeicultura) divulgadas pelo Observatório do Café no link abaixo:

http://www.consorciopesquisacafe.com.br/index.php/imprensa/noticias

Acesse também as publicações sobre café e portfólio de tecnologias do Consórcio Pesquisa Café:

http://www.consorciopesquisacafe.com.br/index.php/publicacoes/637

Thiago Cavaton
Embrapa Café

Comentários

Mais vistas da semana

No Maranhão extrativistas da amêndoa de babaçu recebem mais R$ 450 mil em subvenções

Cebola e batata ficam mais baratas nos principais mercados atacadistas

Cafés do Brasil obtêm Denominação de Origem para a Mantiqueira de Minas

Programa de melhoramento de bovinos de carne adota critérios mais objetivos e amplia análise de rebanhos

Conab realiza pesquisa para os próximos levantamentos de grãos e café em Minas Gerais